terça-feira, 8 de junho de 2010

Mentira como verdade...

Não penso mais em ti, como mulher,
Pois teu ideal já fui, hoje não sou,
Procuro por aí outra qualquer,
Que o mundo também abandonou.

Pensas em mim sem te prenderes,
Mas o que amas, além da própria vida..?
Falas do passado sem entenderes,
Que desse amor apenas ficou uma ferida...!


Feliz teu pensamento, que eu não tenho,
Nem nunca julguei fácil assim pensar,
Julgava que o amor que contenho,
Seria igual ao teu, que era amar...


Pensei poder o amor trocar,
E ser feliz só pela amizade,
Mas sinto tristeza, ao olhar
A mentira, no que dizes ser verdade...!

domingo, 6 de junho de 2010

Felicidade ...

Felicidade,
É ouvir a tua voz,
Quando penso em ti,
É fechar os olhos,
E saber-te no meu mundo.

Felicidade,
É procurar o paraíso,
No deserto da solidão,
É encontrar o oásis da vida,
Na loucura da existência.

Prazer,
É desfalecer com uma carícia,
Na paixão do desejo,
É sentir a volúpia da tua pele,
Na palma da minha mão...
É uma cama,
Onde os nossos corpos,
Desenham o infinito,
Quando esse infinito somos nós.

Mais umas pinturas (que tanto gosto...)


















1 - Pôr do sol no rio
 (acrilico s/tela)
2 - Pormenor- Óbidos
 (acrilico s/tela)
3 - Jovem dormindo
 (aguarela)

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Frustação...

Quantos os pensamentos que tive,
Querer-te para mim, seres só minha,
Mas quantos dissabores em mim contive,
Que morro na loucura que continha ...

Percorro agora o teu pisar, simples maneio,
Ao passares por mim, alma sózinha,
E fico na esperança de ainda ser o timoneiro,
Dessa vida, que afinal é igual à minha ...

E nessa louca saudade,
Jamais me ocorreu sequer pensar,
Olhar-te só pela amizade,
Naquilo que um dia foi amar ...

Vivo nesta ilusão de pensamento,
Que o amor tudo pode vencer,
Mas quanta frustação e tormento,
Tenho ao acordar desse sonho, sem te ver...

Fugir de mim ...

Quero fugir de mim,
Ir para bem longe,
Encontrar sombras serenas,
Como nuvens a voar,
No céu azul de um belo dia...

 

Quero apenas fugir,
Lavar as lágrimas,
Sentir-me de novo, sorrir,

Inebriar-me no aroma perdido
Do café, naquela manhã chuvosa...


Quero fugir de mim,
Tomar um banho de chuva,
Lavar minha alma por inteiro,
E quem sabe... perdendo-me,
Posso encontrar-me novamente,
No doce embalar dessa ilusão...